(51) 3062.9977 | 3062.9939 | 99172.5851

(51) 3062.9977 | 3062.9939 | 99172.5851

Kit Milteforan 2 Unidades 90ml ( Frete Grátis ) Sedex 2 Dias Úteis

Marca: Virbac
 
Simulador de Frete
- Calcular frete

Kit Milteforan 2 Unidades  90 ml = 180ml Milteforan

Milteforan Validade 11/2022  , envio imediato Sedex produto 100% Original 

Envio Grátis 2 dias úteis ,Nota Fiscal , selo de Garantia .

POSOLOGIA

Após pesar precisamente o animal, administrar por via oral 1 mL de Milteforan? para cada 10 kg de peso, o que corresponde à dose de 2 mg/kg de peso, uma vez ao dia, durante 28 dias consecutivos.

PROPRIEDADES

Após a administração oral, a absorção da droga é completa no trato gastrintestinal, com biodisponibilidade absoluta de 94% em cães, atingindo a concentração máxima entre um período de 4 a 48 horas e tem meia-vida de 159 horas para a sua eliminação.

Seus efeitos secundários podem incluir transtornos digestivos como vômito, diarreia e anorexia em alguns animais, e por isto deve ser administrado durante a alimentação.

VANTAGENS

  • Administrado por via oral em dose diária única, por 28 dias, o que torna o tratamento mais fácil de ser realizado pelo proprietário, evitando falhas terapêuticas.
  • Possui ação imunomoduladora, estimulando a resposta celular e diminuindo a carga do parasito.
  • Biodisponibilidade absoluta de 94% em cães, atingindo a concentração máxima entre um período de 4 a 48 horas.
  • Tem ampla distribuição nos tecidos, alcançando os tecidos-alvo.
  • Meia-vida de eliminação lenta.
  • Não é prejudicial ao fígado, sofre uma lenta degradação metabólica hepática em colina, um componente natural.
  • Não possui excreção renal, sendo seguro para os rins.

ADVERTÊNCIAS

Evitar a subdosagem. Assim, é importante que a posologia descrita seja corretamente obedecida. O tempo para a completa absorção da droga pelo cão é de aproximadamente uma hora após a ingestão. Como o medicamento pode induzir vômito, é importante que, após a administração do produto o animal seja observado por este período, para que se assegure que a dose do dia tenha sido corretamente ingerida.

É recomendado que sejam utilizados nos animais em tratamento produtos repelentes contra o flebotomíneo.

Não existe cura parasitológica estéril para a Leishmaniose Visceral Canina. O declínio da carga parasitária reduzirá o potencial de infecção dos flebotomíneos e, consequentemente, a transmissibilidade da doença.

Assim, a cada quatro (04) meses, o animal em tratamento deverá retornar ao médico veterinário para uma reavaliação clínica, laboratorial (pelo proteinograma) e parasitológica (pelas citologias de linfonodo e medula óssea). Se necessário, um novo ciclo de tratamento deverá ser indicado.

PRECAUÇÕES

O peso do cão deve ser determinado com precisão antes e durante o tratamento, para o correto ajuste da dose.

É importante certificar-se que o animal ingira a dose completa do produto durante todo o tratamento.

Não agite o frasco para evitar a formação de espuma.

Em animais com insuficiência hepática, renal ou cardíaca, o medicamento somente deverá ser administrado após uma avaliação de risco/benefício realizada pelo médico veterinário.

CONTRAINDICAÇÕES E RESTRIÇÕES DE USO

Não administrar o produto em animais com hipersensibilidade à miltefosina.

Não utilizar o produto em fêmeas gestantes, lactantes ou em animais destinados à reprodução.

REAÇÕES ADVERSAS

É possível o aparecimento de vômitos moderados e transitórios e diarreia. Estes efeitos começaram a aparecer cinco a sete dias após o início do tratamento e duraram entre um e dois dias na maioria dos casos, podendo se estender por até sete dias para alguns animais. Eles foram reversíveis no final do tratamento e todos os cães se recuperaram sem qualquer terapia específica.

VALIDADE

Conservar o produto em sua embalagem original, fechada, entre 15ºC e 30ºC, ao abrigo da luz solar.

Nestas condições, o produto é válido por dois (02) anos após a data da fabricação.

Após aberto, o conteúdo do frasco deverá ser consumido dentro de 28 dias.

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA APROVA O ÚNICO MEDICAMENTO PARA TRATAMENTO DE LEISHMANIOSE VISCERAL CANINA NO BRASIL

A aprovação do MilteforanTM, desenvolvido pelo laboratório farmacêutico veterinário Virbac para o tratamento da Leishmaniose Visceral Canina, representa um marco na medicina veterinária brasileira. Por não haver, até então, tratamento comprovadamente seguro e eficaz, os animais acometidos pela zoonose eram indicados à eutanásia. O cão é o principal reservatório da doença, que é transmitida para os humanos pelo ?mosquito-palha?.

A Leishmaniose Visceral Canina é caracterizada pela Organização Mundial de Saúde (OMS) como uma das seis doenças infecciosas mais importantes do mundo. Ela já foi detectada em pelo menos 12 países da América Latina, sendo que 90% dos casos ocorrem no Brasil. Entre 2009 e 2013 foram registrados aproximadamente 18 mil casos confirmados em seres humanos e, para cada caso reportado, estima-se que haja 200 cães infectados, segundo pesquisas do Ministério da Saúde juntamente com a Secretaria de Vigilância em Saúde.

Este mês, por meio de nota oficial conjunta, o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento e o Ministério da Saúde anunciaram a autorização do registro do produto MilteforanTM, de propriedade da empresa Virbac - indústria farmacêutica francesa de presença mundial e dedicada exclusivamente à saúde animal. Indicado para o tratamento da leishmania nos cães, o produto está previsto para ser lançado oficialmente no início de 2017.

O processo de aprovação contou com o apoio e influência de membros do Brasileish (Grupo de Estudos sobre Leishmaniose Animal), que há oito anos lutam junto com a Virbac pela aprovação da comercialização do Milteforan no Brasil, tendo em vista que este é o principal medicamento para tratamento da doença em outros países, principalmente na Europa. ?Essa vitória é extremamente importante, pois se trata de um assunto de saúde publica, já que os cães infectados, quando tratados corretamente, deixam de ser reservatórios para o mosquito que transmite a doença para o homem?, afirma Valdir Avino, gerente de assuntos regulatórios da Virbac.

Além disso, a aprovação do tratamento no Brasil representa maior segurança para os donos dos cães, uma vez que é de amplo conhecimento que muitas pessoas, por não aceitarem sacrificar seus cães, apelavam para o mercado negro, importando o medicamento de forma ilegal e sem qualquer garantia em relação à qualidade do produto.

O que é a Leishmaniose Visceral Canina?

A Leishmaniose é uma zoonose classificada entre as seis endemias prioritárias no mundo, cuja transmissão ocorre pela picada do vetor flebótomo (Lutzomia spp mosquito-palha) infectado. O homem pode ser contaminado se estiver presente em uma área endêmica, como viajante ou como residente. Não há transmissão direta de pessoa para pessoa.

Cenário atual no Brasil

A doença, que possuía caráter eminentemente rural, expandiu-se para as áreas urbanas, tornando-se um problema de saúde pública. Hoje, a região Nordeste é a mais acometida, além de outros grandes centros como Belo Horizonte (MG), Brasília (DF), Campo Grande (MS) e outros municípios paulistas como Araçatuba, Bauru, Presidente Prudente.

MilteforanTM - A única solução para o controle da Leishmaniose

A Virbac, maior companhia farmacêutica independente dedicada exclusivamente à saúde animal, é pioneira ao trazer para o Brasil o MilteforanTM, o único medicamento veterinário aprovado para o tratamento da Leishmaniose Visceral Canina no Brasil. O produto é uma formulação especifica para o uso veterinário com o principio ativo a Miltefosina, primeiro agente de administração oral eficaz no controle da Leishmania.

De acordo com os estudos realizados pela Virbac, o MilteforanTM proporciona visível melhora clínica dos animais com uma importante redução de sua carga parasitária, o que o torna uma ferramenta importante para a diminuição da transmissão da doença.

Posse Responsável

Os animais tratados com MilteforanTM requerem monitoramento periódico. A cada quatro meses, todos os animais devem ser reavaliados por seus médicos veterinários para que um novo ciclo de tratamento de 28 dias seja instituído.

Os médicos veterinários e os proprietários de cães infectados devem assumir a responsabilidade de reavaliá-los e de retratá-los por toda a vida. É um compromisso importante que devem assumir para que se interrompa o ciclo da doença?, explica Avino.

Identificação da doença

A Leishmaniose Visceral Canina é uma patologia que pode ser confundida com outras doenças e requer diagnóstico específico. Este deve ser realizado por uma triagem sorológica, confirmado por uma avaliação clínica correta e por exames específicos, como o PCR-RT e citologia de medula.

Deixe seu comentário e sua avaliação







- Máximo de 512 caracteres.

Clique para Avaliar


  • Avaliação:
Enviar
Faça seu login e comente.